Quando você pensa em qual regime tributário é o mais adequado para uma empresa vem em sua mente o “simples nacional”? Talvez pelo nome desse regime chamar atenção, “simples”. Mas se seguirmos a nossa intuição somente pelo nome, podemos nos enganar, você sabia?

O regime do simples nacional é vantajoso, mas depende de inúmeros fatores, tais como a atividade da empresa, o faturamento, e possíveis impeditivos, como no quadro societário da empresa.

Caso a empresa tenha uma receita bruta global que ultrapasse o limite de R$ 4.800.000,00 a opção a esse regime se torna impeditiva.

Bom, vamos lá! Vamos explicar de forma sucinta os regimes tributários mais utilizados:

Simples Nacional

Esse regime simplifica a forma de arrecadação dos tributos, pois é calculado em uma única guia, a DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional. As alíquotas para cálculo do imposto variam de 4% a 22,90% e de acordo com os Anexos (I ao V) para optar existem algumas regras e uma delas é o limite de faturamento até 4,8 milhões.

Lucro Presumido

O recolhimento de alguns impostos (IRPJ – Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e CSLL – Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido) variam de acordo com a atividade da empresa, seja comércio/indústria ou serviços. Assim como no simples nacional, existe o limite de faturamento que é até 78 milhões. O recolhimento dos demais tributos, como PIS, COFINS, ICMS, IPI são feitos em guias separadas e os percentuais são fixos, independente do faturamento.

Leia mais: A importância do planejamento tributário

Lucro Real

O Lucro Real é obrigatório para algumas atividades, tais como: cooperativas de crédito, instituições bancárias, dentre outras. O recolhimento do IRPJ – Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e CSLL – Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido é definido pelo lucro contábil, diferentemente da apuração pelo Lucro Presumido e as alíquotas são respectivamente de 15% e 9%.

Já os demais tributos como PIS, COFINS, ICMS e IPI todos dão direito ao crédito de acordo com algumas regras da legislação. Esse regime tributário é mais complexo, mas para muitas empresas é o mais vantajoso.

Qual importância de um regime tributário adequado?

Além de trazer economia tributária um dos principais pontos é economizar também no fluxo de caixa, arrecadando os tributos de forma consciente e assertiva.

Para isso, é necessário que conte com a expertise da contabilidade para que o departamento fiscal juntamente com o departamento de contabilidade realize o estudo tributário e adeque a empresa no melhor cenário, seja no regime do Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real.

Ao realizar o estudo tributário requer atenção, pois muito fatores influenciam, tais como: quantidade de funcionários, valor da folha de pagamento, atividade da empresa, budget/orçamento, faturamento, entre outros.

A R. Monteiro pode te ajudar a realizar o planejamento tributário da sua empresa definindo em conjunto estratégias vantajosas para que se tenha uma empresa saudável e rentável.

O nosso compromisso, e propósito é ajudar as pessoas a empreenderem com responsabilidade. Conte conosco!

Diany Nabeshima

Diretora Fiscal

Share This